+

    Pergunte a um Cientista!

    Recebi uma mensagem, quero saber se é verdade.

    Vi uma notícia no celular, quero saber se é verdade.

    Vi no jornal, quero saber se é isso mesmo.

    Vou perguntar a um/a cientista.

    Quem somos?

    O observatório dará visibilidade e comunicabilidade às frentes de reflexão, formação e extensão ligadas ao Letramento Midiático e Informacional e ao Diálogo Intercultural no âmbito dos Direitos Humanos.

    O Projeto Pergunte a um Cientista, que embasa essa iniciativa, é desenvolvido a partir da Universidade Estadual de Campinas em articulação com universidades parceiras, como a USP, a UFAC e a UEPB, e tem como principal objetivo a compreensão do fenômeno da desinformação como ocorre no Brasil, considerando sua diversidade cultural e linguística. O Observatório da Desinformação está também articulado com a Representação da América Latina da Aliança UNESCO para Letramento Midiático, Informacional e Diálogo Intercultural e com a rede de educação superior da UNESCO-UNAOC UNITWIN de Letramento Midiático Informacional e Diálogo Intercultural.

    Os princípios básicos são considerados a partir da teoria dos sistemas complexos, particularmente com atenção aos fenômenos de auto-organização ligados à desinformação. Dado que o fenómeno da desinformação é por nós considerado um processo dinâmico e auto-organizado, não há como prever qual a desinformação que virá, nem em que área do conhecimento ou que costumes irá afetar. Consideramos os princípios dos direitos humanos como os primeiros faróis de informação de qualidade; a informação deve cumprir os seus preceitos e estar ancorada na memória histórica e democrática do nosso país.

    O Observatório da Desinformação, iniciativa de uma universidade pública, propõe diálogo amplo entre diversas áreas do conhecimento, com intelectuais orgânicos e com a sociedade brasileira, incluindo atores sociais e lideranças comunitárias.

    Estamos à disposição para construção de um contato mais efetivo entre a academia e a sociedade, assim como para pautar a realidade brasileira dentro de um perfil de interlocução que defenda valores democráticos, objetivos sociais comuns e o bem viver.

    Propósito

    No Brasil sofremos com o fenômeno de informações falsas e precisamos ampliar o diálogo para garantir informação e educação de qualidade para todos.

    Faça parte!

    Você pode se cadastrar no site e sempre que houver novidades você será avisado.

    Você pode entrar em contato conosco e podemos pensar juntos palestras, workshops e formações focadas nas questões mais importantes para sua comunidade.

    Se você tem um grupo de pesquisa e quer articular as atividades de pesquisa, podemos trabalhar para compormos uma frente reflexiva sobre desinformação.

    Você pode ser um colaborador, e compartilhar suas experiências e reflexões conosco.

    Doutora em Linguística pela Universidade UNICAMP onde é Pesquisadora Permanente, com Pós-Doutorado em Linguística Computacional pela Universidade Paris 3. Trabalha com questões ligadas a multilinguismo, interculturalidade, multiculturalismo e epistemologias não standard. Responsável pela promoção de pesquisa e atividades de Letramento Midiático, Informacional e Diálogo Intercultural na UNICAMP, ligadas à Rede de Educação Superior UNESCO UNITWIN UNAOC-UNESCO, em uma abordagem reflexiva inspirada no trabalho de Michel Debrun. Representante das atividades do Brasil na Aliança UNESCO para Letramento Midiático, Informacional e Diálogo Intercultural. Criou e coordenou o E-lab Multiculturalismo no Mundo Digital na UNITWIN UNESCO Campus Digital de Sistemas Complexos (2015-2021) e a Cátedra UNESCO Multilinguismo no Mundo Digital da UNICAMP (2007-2009).

    Jornalista, doutora e mestre em Estudos Linguísticos pela PUC Minas. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente, é pesquisadora associada no CLE/Unicamp, com pesquisa sobre desinfodemia e ecossistema de desinformação. Integra o Observatório das Eleições e da Democracia (INCT/IDDC/UFMG), onde coordenou a Editoria de Desinformação e Redes em 2022 (com foco na abordagem sobre desinformação nas eleições). Também integra o grupo Mídia, Opinião Pública e Relações Internacionais (MOPRI/UEPB). Sua tese de doutorado, que discute as estratégias de construção da narrativa do Jornal Nacional no período compreendido entre o impeachment de Dilma Rousseff e a eleição de Jair Bolsonaro, foi publicada em livro em 2022, com boa repercussão na mídia.

    Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais; mestre e doutor em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade de São Paulo. Tem como linha de pesquisa a biologia, diversidade, história natural e aspectos comportamentais de aracnídeos, influência de impactos antrópicos na biodiversidade, com foco na região amazônica. Também tem como interesses de investigação letramento e educação científica, ensino de ciências, epistemologia do conhecimento científico frente ao conhecimento tradicional e projetos multidisciplinares nas ciências ambientais com destaque para as relações entre a sociedade e o meio ambiente. Trabalha atualmente como professor e pesquisador na Universidade Federal do Acre (Campus Floresta) em Cruzeiro do Sul, Acre.

    Doutora em História pela Unicamp na área de Política, Memória e Cidade, é docente mesma universidade, onde atua nos cursos de graduação em História e em Arquitetura e Urbanismo e nos Programas de Pós-Graduação em História (acadêmico e profissional). Dedica-se aos estudos sobre história política, atenta aos diálogos entre os campos do conhecimento que compõem, de modo multidisciplinar, os saberes especializados sobre o urbano. É editora da revista Urbana, publicação do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade (CIEC), que coordena desde 2014, e com ele atua no projeto interinstitucional Cronologia do Pensamento Urbanístico e na Associação Ibero-americana de História Urbana. É membro do grupo de pesquisa interinstitucional História e Linguagens Políticas: razão, sentimentos e sensibilidades e coordenou o Observatório de Direitos Humanos da Unicamp (2019-2023).

    Autores do projeto

    • Claudia Marinho Wanderley

      Doutora em Linguística pela Universidade UNICAMP onde é Pesquisadora Permanente, com Pós-Doutorado em Linguística Computacional pela Universidade Paris 3. Trabalha com questões ligadas a multilinguismo, interculturalidade, multiculturalismo e epistemologias não standard. Responsável pela promoção de pesquisa e atividades de Letramento Midiático, Informacional e Diálogo Intercultural na UNICAMP, ligadas à Rede de Educação Superior UNESCO UNITWIN UNAOC-UNESCO, em uma abordagem reflexiva inspirada no trabalho de Michel Debrun. Representante das atividades do Brasil na Aliança UNESCO para Letramento Midiático, Informacional e Diálogo Intercultural. Criou e coordenou o E-lab Multiculturalismo no Mundo Digital na UNITWIN UNESCO Campus Digital de Sistemas Complexos (2015-2021) e a Cátedra UNESCO Multilinguismo no Mundo Digital da UNICAMP (2007-2009).

    • Eliara Santana

      Jornalista, doutora e mestre em Estudos Linguísticos pela PUC Minas. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente, é pesquisadora associada no CLE/Unicamp, com pesquisa sobre desinfodemia e ecossistema de desinformação. Integra o Observatório das Eleições e da Democracia (INCT/IDDC/UFMG), onde coordenou a Editoria de Desinformação e Redes em 2022 (com foco na abordagem sobre desinformação nas eleições). Também integra o grupo Mídia, Opinião Pública e Relações Internacionais (MOPRI/UEPB). Sua tese de doutorado, que discute as estratégias de construção da narrativa do Jornal Nacional no período compreendido entre o impeachment de Dilma Rousseff e a eleição de Jair Bolsonaro, foi publicada em livro em 2022, com boa repercussão na mídia.

    • Ewerton Ortiz Machado

      Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais; mestre e doutor em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade de São Paulo. Tem como linha de pesquisa a biologia, diversidade, história natural e aspectos comportamentais de aracnídeos, influência de impactos antrópicos na biodiversidade, com foco na região amazônica. Também tem como interesses de investigação letramento e educação científica, ensino de ciências, epistemologia do conhecimento científico frente ao conhecimento tradicional e projetos multidisciplinares nas ciências ambientais com destaque para as relações entre a sociedade e o meio ambiente. Trabalha atualmente como professor e pesquisador na Universidade Federal do Acre (Campus Floresta) em Cruzeiro do Sul, Acre.

    • Josianne Francia Cerasoli

      Doutora em História pela Unicamp na área de Política, Memória e Cidade, é docente mesma universidade, onde atua nos cursos de graduação em História e em Arquitetura e Urbanismo e nos Programas de Pós-Graduação em História (acadêmico e profissional). Dedica-se aos estudos sobre história política, atenta aos diálogos entre os campos do conhecimento que compõem, de modo multidisciplinar, os saberes especializados sobre o urbano. É editora da revista Urbana, publicação do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade (CIEC), que coordena desde 2014, e com ele atua no projeto interinstitucional Cronologia do Pensamento Urbanístico e na Associação Ibero-americana de História Urbana. É membro do grupo de pesquisa interinstitucional História e Linguagens Políticas: razão, sentimentos e sensibilidades e coordenou o Observatório de Direitos Humanos da Unicamp (2019-2023).

    Autores do projeto

    Instituições parceiras

    Projetos

    banner

    FÓRUM ENTRE O FATO E O FAKE:: OS DESAFIOS DA INFORMAÇÃO NAS ELEIÇÕES.

    Veja a matéria completa no G1:


    Clique aqui



    O projeto “Pergunte a um/a cientista” é uma articulação entre diferentes centros, institutos e faculdades da UNICAMP e da USP para conduzirmos uma escuta nas escolas primeiramente, e em uma segunda fase com o público que tem acesso à internet.

    Ele pede simplesmente que, em caso de dúvida sobre alguma informação recebida ou lida na mídia, a pessoa pergunte a um/a cientista.

    Acesse

    Pergunte a um Cientista!



      Cadastre-se